quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

ALUNOS DO 2º ANO NA BIBLIOTECA

Os alunos deslocaram-se da Escola EB1 de Sta. Teresinha à biblioteca nº 2 do Agrupamento. Devolveram os livros requisitados, requisitaram um novo livro, ouviram a história do Pinto Borrachudo e fizeram algumas atividades sobre ela. Foi muito bom tê-los aqui!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Apreciações críticas feitas pelos alunos do 7ºF sobre o conto “Arroz do Céu”

“Arroz do Céu” é um conto que relata um pouco do que algumas famílias estão a passar. Muitas vezes olhamos para a comida que temos no prato e não queremos comê-la. Quem lê este conto vê o valor que os alimentos têm para uma família pobre. Neste texto vemos a tradição de deitar arroz aos noivos, o que é um desperdício, pois esse que a nossos olhos é tão pouco deu para remediar a vida de um simples limpa – vias. Enfim, gostei deste conto dado que mostra a realidade em que algumas pessoas vivem, fazendo-nos abrir os olhos para ajudar o próximo. Alexandra Costa Na minha opinião este conto é interessante, mas um pouco difícil de compreender. Ele caracteriza um pouco o que acontece hoje em dia, uma grande diferença social: enquanto muitos desperdiçam o que têm porque não lhes faz falta nada, outros davam tudo para ter um pouco de comida. Ana Vaz Gostei deste conto pois mostra-nos a tradição de deitar o arroz aos noivos o que era um desperdício e o limpa-vias apanhava os grãos de arroz do chão para poder ter alguma coisa para comer. Este conto também nos mostra o quanto as pessoas que não têm nada para comer passam, enquanto outras que têm tudo o que querem desperdiçam. Com este conto aprendi que não se pode desperdiçar o comer, pois com nos tempos que correm há muitas pessoas a passar fome no mundo. Carolina Pinto

A CIDADE DOS DEUSES SELVAGENS

A autora do livro A Cidade dos Deuses Selvagens é Isabel Allende. Nasceu no Peru em 1942. Trabalhou como jornalista e escritora desde os 17 anos. Publicou o seu primeiro romance, o sucesso mundial A Casa dos Espíritos
que originou um filme gravado em Portugal, Atualmente reside nos Estados Unidos com a família. Este livro é uma aventura repleta de perigos, mistérios, surpresas mágicas e reais. A personagem principal é Alexander Cold, este ao deparar-se com a grave doença da sua mãe vê-se forçado a ir viver para junto da sua avó paterna. Alex parte com a sua avó, para uma misteriosa e perigosa expedição do National Geographic, no Amazonas. Esta expedição tinha dois objetivos: vacinar as tribos indígenas e encontrar um estranho animal, meio homem meio besta. O grupo era constituído por oito pessoas, estas tiveram que lutar contra a natureza e conviverem com as diferentes personalidades de cada um. Alex sendo um rapaz que sempre viveu na cidade não sabia o que o esperava, durante a expedição inicia uma estranha amizade com a filha do guia, que fala com os animais. A descoberta do seu animal totémico e aquilo que promete ser a cura para a doença da sua mãe fizeram-no perceber que existem mais coisas entre o céu e a terra do que o que ele estaria disposto a acreditar. Eu achei que este livro foi bastante enriquecedor. Gostei principalmente das aventuras passadas por Alex e Nadia com o xamã e com as tribos indígenas, de perceber as culturas praticadas por estas tribos e das diferentes paisagens, locais e espécies exploradas pelos fuzileiros. A autora do livro “A Cidade dos Deuses Selvagens” também alerta para as consequências da desflorestação ambiental e a importância de vacinar os índios. Eduarda David