segunda-feira, 29 de outubro de 2012

PARA MIM ESCREVER É...

Quando temos ideias, Ideias a abarrotar, E sem ninguém para contar, É no papel que vamos desabafar. Em casa ou na escola, De noite e de dia, É só mergulhar, No mundo da fantasia. É muito fácil de fazer, Basta ter imaginação, E se tiver dificuldade, Peço ajuda ao coração. Escrever, escrever sem parar, Até é divertido, Basta pensar, pensar, pensar, Que no papel tudo será decidido! Para mim escrever é falar, Mas falar bem, Pois para mim imaginar, Não é só escrever, É fantasiar! É uma forma de viver, Sem parar nem conter Maria Matos, nº 15, 7º C

A PÁGINAS TANTAS - Nação crioula

Nação Crioula: a correspondência secreta de Fradique Mendes é uma obra notável e de grande interesse, do autor angolano José Eduardo Agualusa. Trata-se da história de Fradique Mendes, um escritor português que, viajando um pouco por todo o mundo, inclusivamente por Angola, acaba por se relacionar com uma mulher angolana, Ana Olímpia, nascida princesa congolesa, mas também escrava, o que o leva à luta pela extinção da escravatura em Portugal que, embora já abolida, continuava a ser praticada. É um romance epistolar, isto é, relatado através da correspondência entre Fradique Mendes e a sua madrinha, madame de Jouarre, Ana Olímpia e Eça de Queirós e cuja ação decorre no século XIX. Já sei o que está a pensar: que é uma, digamos, “seca”. Nada disso! Muito pelo contrário: é um romance muito fácil de ler, que aborda a conjuntura socio-cultural da época de forma simples e fácil de ler. Nação Crioula: a correspondência secreta de Fradique Mendes é o conselhoda BECRE da Escola João Franco.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

LIVROS DIGITAIS NO DN

O DN publica, a partir de hoje, uma série de obras de autores portuguese de renome. Para aceder à sua leitura, basta inscreverem-se no site do jornal. O primeiro é o Rui Zink, com Um romance.