segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

A PÁGINAS TANTAS

Hoje vamos divulgar o romance Anatomia dos mártires do jovem e promissor escritor João Tordo. Já antes falámos da sua mais recente obra – As três vidas, que continuamos a recomendar vivamente. Pois bem, Anatomia dos mártires, embora seja totalmente diferente das Três vidas, denota um estilo muito próprio do autor: uma escrita que, sendo simples, consegue, simultaneamente, ser única. Fácil de ler, o autor apresenta-nos a história verdadeira da “mártir” portuguesa Catarina Eufémia, o que se sabe, o que consiste apenas em meras especulações, revelando um intenso trabalho de pesquisa. Tudo começa quando o protagonista, um jovem jornalista, se desloca a Berlim para efetuar uma reportagem sobre um escritor americano que considera um embuste e que publicara uma biografia sobre um mártir que conheceu. O jovem, que até nem lera a obra, acaba por escrever mesmo o artigo e por estabelecer um paralelismo entre esse mártir e a portuguesa Catarina Eufémia. O artigo envolve-se numa forte controvérsia que acaba por provocar, no jornalista, uma vontade de conhecer a realidade dos factos sobre a heroína alentejana. Quase para de viver, de tal forma se deixa cativar pela procura incessante da verdade dos factos. Tudo isto nos transporta para algumas realidades portuguesas anteriores ao 25 de abril, que o autor introduz de um modo muito sábio. Assim, ficção e história surgem num jogo de paralelismo fantástico, onde cabem outras pequenas histórias, como uma grande ligação amorosa com uma mulher irlandesa, como a sua conturbada relação familiar com o pai, como a sua dificuldade em ter amigos, com destaque para a amizade que mantém com Afonso, como ainda a sua difícil relação com o seu chefe editorial, um comunista assumido. Anatomia dos mártires é um romance genial que não pode deixar de ler: associar o entretenimento ao conhecimento é o nosso lema de hoje!

domingo, 30 de dezembro de 2012

A PÁGINAS TANTAS

As 3 vidas, escrito por João Tordo é um romance policial e incrivelmente empolgante, que gira em torno da personagem de Millhouse Pascal, um homem de origem francesa e inglesa, que passa os últimos anos da sua vida num casarão de uma quinta, a Quinta do Tempo, em Santiago do Cacém. Tudo em torno dele se reveste de grande mistério, principalmente a sua actividade profissional. Com ele, vivem três netos, todos muito irreverentes, atuando de forma inusitada e ultrapassando, de algum modo, os cânones sociais. As 3 vidas têm como pano de fundo o ambiente dos anos 80, em que Portugal vivia anos simultaneamente difíceis e de descoberta. O narrador contacta com Millhouse Pascal através de uma oferta de trabalho e passa a viver no Alentejo, na sua quinta, onde se dedica de corpo e alma ao trabalho, havendo, porém, tempo para a sua paixão por Camila, uma das netas do velho senhor. Mais tarde, a acção decorre em Nova Iorque, cada vez com peripécias mais incríveis e volta, então, a Portugal, para o seu desfecho. Para aguçar o seu apetite, caro leitor, digo-lhe que o narrador, embora trabalhando para Pascal, só muito tarde, nos acontecimentos, consegue descobrir a sua verdadeira actividade profissional, a qual se reveste de contornos moralmente questionáveis. Contudo, a descoberta da vida do seu patrão poderá explicar muitos dos acontecimentos presentes e o próprio rumo da sua vida. Enfim, um romance que não se quer acabar, que se quer infinito, para que se prolongue o nosso deleite.

sábado, 29 de dezembro de 2012

A PÁGINAS TANTAS

Como dei com o meu psiquiatra em louco é o meu conselho desta semana. A escritora portuguesa Isabel Stilwell escreveu um conjunto de histórias bem loucas, mesmo de dar com os psiquiatras em doidos! Mas, para nós, leitores, elas dão-nos bons momentos de humor e graça. Para lhe aguçar o apetite, digo-lhe que a primeira história, “A história do Horácio, propriamente dita…” relata a história da convivência entre um casal, a D. Noémia e o seu marido, que apenas tem um defeito: não comer nada que tenha queijo. Aparentemente, isto não é grave, mas… Enfim, nem tudo é o que parece e as consequências desta simples característica tão comum a tanta gente vão ser mesmo graves e vão mesmo dar com um psiquiatra em doido! Como dei com o meu psiquiatra em louco é um livro que se lê num dia apenas! Quando estiver a precisar de um reforço positivo, já sabe: leia este livro que o fará dar umas boas gargalhadas.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

A PÁGINAS TANTAS

Musa é uma compilação de poemas da nossa muito querida escritora Sophia de Mello Breyner Andresen, recentemente reeditado pela Caminho. De entre os vários poemas, a escolha se torna difícil. Seguindo o gosto pela cultura clássica que a autora manifestou ao longo da sua obra, selecionámos o poema “Orpheu”, onde Sophia, como ninguém, nos introduz na música encantadora da lira de Orpheu: Orpheu Seu canto alto e grave O canto de oiro o êxtase da lira Orpheu A palidez sagrada de seu rosto Que de clarões e sombras se ilumina Ante seus pés se deitam mansas feras Vencidas pela música divina. Bem, e como a leitura é isto mesmo, o nosso ouvinte poderá ainda deleitar-se com a história de Orpheu. O que sabe desta personagem? Então, lanço dois desafios: o primeiro, deleitar-se com o livro Musa da nossa Sophia, o segundo, procurar a história de Orpheu e … lê-la, claro. Tenho a certeza de que vai adorar!

sábado, 22 de dezembro de 2012

A PÁGINAS TANTAS

Na berma de nenhuma estrada é o livro de que hoje vos vou falar. Mia Couto, o autor, tem uma escrita muito peculiar e própria dele mesmo, em que mistura vocábulos, expressões e mesmo frases, ao seu jeito, numa invenção contínua e marcando um estilo muito pessoal. É um autor que me agrada desde as primeiras palavras que leio. Ora ouça: “Quem amamos nasce antes de haver o tempo. Passou o tempo e Ofélia era ainda a única mulher no mundo. Eu a via passar na rua, afastava os cortinados e o universo ganhava súbita explicação. Ela parava no passeio, sentindo que estava sendo contemplada. Meus olhos a tornavam sagrada. E não havia palavra. Passou o tempo mas a cintura dela se conservava menininha, convidando as mãos a circum-navegarem seu corpo. - Você é linda, Ofélia. Mas ela! Não eram essas as palavras que mexiam em sua alma. - Diga que sou eterna – pedia. Eu não era capaz de cumprir aquele pedido. Algum senão me desviva a voz. E nunca repeti tão solicitadas palavras.” Este é o princípio do conto "Ofélia e a eternidade”, um dos 38 contos que compõem este livro: Na berma de nenhuma estrada para ler com urgência!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A PÁGINAS TANTAS

Hoje, como as férias estão aí, vamos falar de alguns livros para os mais jovens se entreterem. Começamos pela colecção “Detetive Maravilhas” da escritora Maria do Rosário Pedreira. Há vários títulos e são todos de perder a cabeça. É que este detective resolve tudo num instante e tem uns companheiros do melhor. Para quem goste do estilo do Harry Potter e dos feitiços, há uma boa colecção de uma escritora portuguesa chamada Luísa Fortes da Cunha, cuja protagonista é a Teodora, uma menina também fada que se desdobra em aventuras e mais aventuras. De ler a correr! Agora mudamos de estilo, para o Diário de Sofia e Ca., da Luísa Ducla Soares. Trata-se do diário de uma rapariga de 15 anos que está contra tudo e contra todos e que nos conta o seu dia a dia de uma forma muito, mas muito cómica. Amigos, estas são as nossas propostas de hoje, mas os livros são tantos, tantos, que, se entrarem numa biblioteca, se perdem completamente! Boas leituras nestas férias de natal são os nossos votos!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

PRECISA DE MOTIVOS PARA LER?

RESUMO DO LIVRO Um dia, o grupo dos cinco jovens foi para um intercâmbio com alunos franceses, na França. O local escolhido para se encontrarem era em Trocadéro. Quando lá chegaram, foram distribuídos por famílias de acolhimento. A família que acolheu João era um casal que tinha uma filha. Pedro e Chico foram recebidos por uma família que também tinha apenas um filho. As gémeas Teresa e Luísa foram acolhidas por uma pessoa que se chamava Clarice, mas apareceu a sua tia Elise, que as levou para casa e lhes disse para ficarem à vontade. Alguns dias depois, o grupo foi para a escola para ensaiar o final da peça de teatro porque era a véspera da estreia. A estreia da peça de teatro correu bem. No dia seguinte foram visitar a torre Eiffel e o museu de Orsey. Na televisão viram uma notícia sobre a explosão de uma bomba num armazém em Paris. Um dia depois de jantarem com Gaston, as gémeas encontraram Pedro e Chico. Pedro contou que tinha ouvido um terrorista planear pôr uma bomba num armazém de comidas. Algum tempo depois foram ter à cabana de Gaston em Vosgos. Chico, Luísa e Bento foram dar uma volta e encontraram os terroristas. Começaram a lutar e ganharam, mas Chico caiu de uma ribanceira abaixo e desmaiou. Os terroristas levaram Luísa e Bento e puseram-nos ao lado de uma bomba relógio, mas Chico salvou-os. Ficaram lá todos dentro à exceção de Teresa, que se perdeu. A bomba explodiu, mas apenas ficaram ligeiramente feridos. O comandante prendeu os bombistas e apareceu o terrorista da mancha branca que apontou a pistola a Teresa. Chico, escondido, atirou uma pedra e partiu a cabeça ao terrorista. OPINIÃO SOBRE O LIVRO Na minha opinião, é um livro divertido porque tem muitas partes em que eles se metem em aventuras e é divertido saber como eles se safam. FRASE MAIS BONITA DO LIVRO "Nunca hei-de esquecer Vosgos! - disse o Pedro. - Que sítio espantoso..." , pág.179 Autor: Ângelo Soares Primo, 7º E

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

APS10 APRESENTA TRABALHO AO 3º ANO JF3B

Esta sessão foi igualmente animada. O tema foi o das vindimas, também caraterístico desta região. Os alunos do 12º ano apresentaram uma peça de teatro e desenvolveram várias atividades plásticas, todas muito interessantes. Os alunos do 3º ano ficaram deveras contentes e também pedem repetição! O saber não ocupa lugar.

APS10 APRESENTA TRABALHO A 4º ANO JF4B

Como se pode ver pelas fotografias, a animação na BECRE foi grande. Os alunos da turma APS10 desenvolveram um trabalho alusivo ao tema da castanha e do castanheiro, outrora foco de desenvolvimento desta região, e apresentaram uma peça de teatro, seguida de atividades de desenho, pintura, colagens e ainda cantaram um fado! Todos adoraram e pedem repetição!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

CLUBE DE LEITURAS

Alguns alunos do 9º A e do 9º B e toda a turma do 3º ano JF 3 B partilharam leituras na BECRE João Franco do nosso agrupamento. O entusiasmo foi total. As obras apresentadas foram O leão e o rato, uma fábula de La Fontaine, Uma noite de natal, de Diana Hendry, Papá das pernas altas, de Jeanne Webster, O silêncio da água, de José Saramago, O meu pé de laranja lima, de José Mauro de Vasconcelos, O segredo do castelo de terror, de Alpred Hitchcock, Cartas a Beatriz, de Maria Teresa Maia Gonzalez, A maior flor do mundo, também de José Saramago e os Capitães de areia, de Jorge Amado. Os alunos do 3º ano apresentaram os seus livros em duas dramatizações fantásticas e muito bem encenadas. Os mais velhos falaram dos livros que leram, tendo em atenção o público a que se destinavam ... E olhem que não é nada fácil! Correu muito bem. Por fim, os meninos do 3º ano escreveram a obra que preferiram e o motivo da escolha. É caso para dizer que foi incrível: ganhou O segredo do castelo de terror, apresentado pelo José Lopes. Bem, resta dizer os nomes dos outros participantes do 9º ano: Afonso Duarte, Beatriz Freitas, Beatriz Sampaio, Simão Brito e Inês Lopes. Continuem com as boas leituras!

A PÁGINAS TANTAS

As cinquenta sombras de Grey
Comecemos pelos factos… As cinquenta sombras de Grey são um sucesso editorial lido por milhares de pessoas e isso é ponto assente. Passemos à opinião… Opinião baseada numa noite de leitura, o que, para uma leitora compulsiva, é suficiente para este livro. Se me perguntarem se compreendo o porquê do sucesso editorial posso responder que sim. Este livro oferece-nos a versão cor-de-rosa de uma história de amor que se pode resumir no seguinte enredo: rapaz rico, misterioso e atraente encontra rapariga inocente, virgem e nada habituada a luxos e apaixonam-se … No final da leitura tive uma sensação não de déjà-vu, mas de déjà-lu… Sim, também eu li as Bianca e as Sabrina no meu tempo de adolescente, e ainda devem existir no sótão da casa dos meus pais uma ou duas Corin Tellado, portanto a receita para o sucesso é conhecida. Esta receita já não era, no entanto, suficiente para os dias de hoje. Foi necessário ainda apimentar a contracapa com uma alusão a todo um mundo de erotismo (a voracidade sexual de Grey e a sua obsessão pelo controlo) e na capa ficamos desde logo a saber que este é o livro de todos falam - estava criado o engodo para os leitores. Considero, como sempre considerei, que todos os leitores têm o direito inalienável a não gostarem de um livro, contudo é também minha firme convicção que jamais nos devemos pronunciar sobre um livro sem o termos lido, folheado, dado uma oportunidade às letras de nos seduzirem. Infelizmente não foi o caso… Após a leitura da obra conclui que esta nada de novo trazia ao meu gosto por ler, nem a suposta carga erótica chega a ser aliciante (só quem nunca leu Anais Nin ou D.H. Lawrence poderá dizer que o erotismo neste livro é inovadoramente sedutor). Há contudo uma observação que se torna premente, a cor deste livro (indiscutivelmente cor de rosa sob os negros da capa) torna-o cativante aos olhos de muitos leitores, talvez porque já muito pouco de cor-de-rosa aparece nas nossas vidas… Quem nunca sonhou com um cavaleiro, no seu corcel branco, perdido de amor por nós que atire a primeira pedra… Eu não o farei… Li, está lido… Agora cabe-lhe a si, caro leitor ler e julgar, pois foi para isso que os livros foram escritos… E se opiniões não se discutem e cada um tem a sua, esta opinião foi apenas a minha…

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Formação de Utilizadores na BECRE

Hoje, na BECRE da Escola João Franco, decorreram duas sessões de formação de utlizadores para os mais pequenos. Os alunos do 5º B, da JF3B e da JF4B, depois de visualizarem uma pequena apresentação sobre o significado de BECRE e da CDU, puderam praticar um pouco, divertindo-se pelo espaço da biblioteca, procurando responder a uma pequena caça ao tesouro.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

A PÁGINAS TANTAS - ILSE LOSA

Aproxima-se o centenário da data do nascimento da escritora portuguesa de origem alemã, Ilse Losa. Apesar de ser conhecida pelos seus livros para as idades mais infantis, atrevo-me a recomendar a sua leitura aos mais velhos. Começamos por aconselhar o conto “Silka”, talvez um dos mais belos que escreveu, que nos narra a história de uma rapariga com o mesmo nome. É uma história muito mágica, de amor, mas também um pouco trágica, na medida em que nos revela quão cruel pode a natureza humana ser. O conto “Faísca” é a ternurenta história de um cão, mas sortudo! Enquanto uns são abandonados, outros têm a sorte de serem cobiçados por dois donos. E quem ganha? “Beatriz e o plátano” revela preocupações de ordem ambiental e é, também, uma história muito ternurenta. “A flor azul” é um livro de contos em que as temáticas são variadíssimas. O conto que dá o nome ao livro versa a amizade e o seu valor, mesmo quando as idades são diferentes. O conto “Ponte”, dotado de uma pontinha de humor, aborda o tema da mentira. Enfim, descubra qual o seu preferido. Finalmente, aconselho O mundo em que vivi, a história de uma menina judia, Rose, que viveu na altura da primeira grande guerra, sofrendo, por isso mesmo e cuja família se vê obrigada a emigrar. Rose narra acontecimentos da sua infância com o olhar imposto pela distância mas, de qualquer modo, o olhar quente de quem narra precisamente o que viveu. Todas estas histórias e ainda outras escritas pela brilhante Ilse Losa conduzi-lo-ão para o mundo fantástico da literatura e para o prazer da leitura. Decore este nome: Ilse Losa.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

PARA MIM ESCREVER É...

Quando temos ideias, Ideias a abarrotar, E sem ninguém para contar, É no papel que vamos desabafar. Em casa ou na escola, De noite e de dia, É só mergulhar, No mundo da fantasia. É muito fácil de fazer, Basta ter imaginação, E se tiver dificuldade, Peço ajuda ao coração. Escrever, escrever sem parar, Até é divertido, Basta pensar, pensar, pensar, Que no papel tudo será decidido! Para mim escrever é falar, Mas falar bem, Pois para mim imaginar, Não é só escrever, É fantasiar! É uma forma de viver, Sem parar nem conter Maria Matos, nº 15, 7º C

A PÁGINAS TANTAS - Nação crioula

Nação Crioula: a correspondência secreta de Fradique Mendes é uma obra notável e de grande interesse, do autor angolano José Eduardo Agualusa. Trata-se da história de Fradique Mendes, um escritor português que, viajando um pouco por todo o mundo, inclusivamente por Angola, acaba por se relacionar com uma mulher angolana, Ana Olímpia, nascida princesa congolesa, mas também escrava, o que o leva à luta pela extinção da escravatura em Portugal que, embora já abolida, continuava a ser praticada. É um romance epistolar, isto é, relatado através da correspondência entre Fradique Mendes e a sua madrinha, madame de Jouarre, Ana Olímpia e Eça de Queirós e cuja ação decorre no século XIX. Já sei o que está a pensar: que é uma, digamos, “seca”. Nada disso! Muito pelo contrário: é um romance muito fácil de ler, que aborda a conjuntura socio-cultural da época de forma simples e fácil de ler. Nação Crioula: a correspondência secreta de Fradique Mendes é o conselhoda BECRE da Escola João Franco.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

LIVROS DIGITAIS NO DN

O DN publica, a partir de hoje, uma série de obras de autores portuguese de renome. Para aceder à sua leitura, basta inscreverem-se no site do jornal. O primeiro é o Rui Zink, com Um romance.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A PÁGINAS TANTAS

“No tempo em que eu ainda trepava às árvores …”. Com esta frase inicial, Patrick Süskind revela que o narrador da história é apenas um rapazinho que, dotado de um caráter muito reservado, mas aventureiro, nos vai falar sobre um singular habitante da sua aldeia, o senhor Sommer. “Vivia (…) nem a dois quilómetros da nossa casa (…). Ninguém sabia qual era o nome de baptismo do senhor Sommer, se era Pedro ou Paulo ou Henrique ou Francisco Xavier, ou se era doutor ou professor Sommer, ou professor doutor Sommer (…) .” Ele e a sua mulher haviam chegado, um dia, de autocarro e não se conheciam quaisquer filhos ou outros familiares. Contudo, este homem misterioso era conhecido de toda a gente. E porquê? Pura e simplesmente porque passava quase todas as horas da sua existência a percorrer a pé toda a região, munido do seu cajado e da sua mochila, quer estivesse sol, chuva, ou até um temporal. Carolina Kückelmann é a jovem personagem feminina dos sonhos do narrador, que o fascina e, do lado oposto, existe a personagem da Senhora Funkel, uma odiosa professora de piano. O senhor Sommer, não existindo na vida de ninguém, existe na vida de toda a gente, pela simples passagem, mas sem nunca estabelecer qualquer tipo de contato. Com belíssimas imagens de Sempé, esta é a história de muitas vidas que, de tão solitárias, nem pertencem ao mundo da verdadeira existência. É um assunto é para refletir. A história do senhor Sommer, um livro para todas as idades, com apenas 102 páginas, uma boa leitura para o seu fim de semana.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A PÁGINAS TANTAS

A herpetofauna do parque natural da Serra da Estrela. Não estranhe. Este é mesmo o título do livro que hoje divulgamos! É verdadeiramente bizarro. Sabe qual é o assunto? “Serpentes, lagartos, rãs e sapos…” Ba, que horror! Dizem os autores que “estes estranhos e discretos animais não são compreendidos da mesma maneira por toda a gente. A grande maioria arrepia-se só de pensar neles, à simples apresentação das suas imagens. No entanto, uma criança não vê nada de repugnante ou de ameaçador num sapo ou numa serpente que, espontaneamente, agarraria se não a repreendessem…” O que é certo é que, através deste livro, que contém magníficas fotografias, temos oportunidade de considerar estes animais de forma diferente. Os autores afirmam que quiseram “associar os anfíbios e os répteis aos meios naturais que frequentam e dos quais são inseparáveis”, além do que consideram que é necessário protege-los, o que não será possível, claro, se não preservarmos o seu habitat. Segundo os autores, “os anfíbios e os répteis são uma parte importante do património natural da serra da Estrela onde ocorrem 35 das 46 espécies recenseadas em Portugal Continental. Eles contribuem, significativamente, para a enorme riqueza e diversidade desta área natural.” Pois bem, a primeira parte da obra refere-se ao parque natural da serra da Estrela, caracterizando-o, abarcando a sua geologia, o clima, as zonas fotossociológicas e paisagísticas, problemas e perspectivas. Só na 2ª parte é que o tema, propriamente dito, é abordado e de forma mesmo muito interessante. Atreva-se e consulte esta magnífica obra na biblioteca da Escola João Franco. Aproveite, depois, para dar um passeio à Serra da Estrela e procurar, sem medo, algumas das espécies mencionadas no livro.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

A PÁGINAS TANTAS - CONSELHOS PARA FÉRIAS

Hoje temos uma edição especial do “A Páginas Tantas”. Estando em tempo de férias, resolvemos aconselhar os mais jovens. Fomos às prateleiras e o resultado é o que se segue. Se ainda não gostas de ler e tens 12 anos ou mais, podes experimentar a colecção “O recruta”; a responsabilidade é minha! Gostar, adorar é garantido! Convém começar pelo primeiro volume, O recruta, mas se não for possível, depressa se apanha o ritmo. Ainda para aqueles que não descobriram o prazer que a leitura dá, A lua de Joana da famosíssima escritora portuguesa Maria Teresa Maia Gonzalez é obrigatório. Quem ainda não leu, faça o favor a si próprio de o fazer! Esta escritora juntou-se com a Margarida Fonseca Santos e nasceu uma nova colecção: “As aventuras de Colombo”. Este é, nem mais nem menos do que um pombo, mas um pouco diferente do habitual: já reformado, tem muitas histórias para contar aos seus amigos pombos e é precisamente o que faz, relatando histórias incríveis da ilha Malu-ka, onde viveu, e dos seus monarcas e súbditos. Tudo muito incrível e cativante. Os contos de Eça de Queirós foram a inspiração de Luísa Ducla Soares para a sua obra intitulada Seis contos de Eça de Queirós recontados por Luísa Ducla Soares. São todos diferentes, no seu estilo, de leitura fácil, e as histórias são todas cativantes. Um livro com poucas páginas e muitas surpresas. Para quem é aficionado de coisas históricas, o escritor e ilustrador português Pedro Seromenho escreveu o livro 900 – história de um rei, sobre o nascimento da nação portuguesa e Afonso Henriques. Garanto que também é o máximo! O escritor chileno Luis Sepúlveda lembrou-se de escrever sobre o tema da amizade e de como ela ultrapassa todas as diferenças. Aassim nasceu o romance História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar. Como o título mostra, um gato e uma gaivota, diferentes como são, podem ser mesmo amigos! Uma ternura e uma beleza de romance. É urgente lê-lo. O Bruno Santos, escritor e ilustrador português, escreveu O pássaro em branco e outras histórias, que Senhor de Si ilustrou. Aconselhado para maiores de 10 anos, as suas histórias, embora não sendo fáceis, são muito interessantes e fazem pensar. Consegues adivinhar “O que faz um pássaro de olhos fechados a voar ao sabor da pena?” Não? Então tens mesmo de ler este livro! E por último, para os mais pequenos, do mesmo autor, A lesma constipada é uma história muito bem-disposta sobre uma pobre lesma que tinha frio, pelo que desejava arranjar uma casa. Será que consegue? E pronto, meus amigos, estas são algumas sugestões minhas, mas, é claro, se forem a uma biblioteca, a perdição é total! É que livros lindos, lindos, há mesmo muitos, basta a difícil tarefa de escolher e a fácil tarefa de requisitar!

terça-feira, 12 de junho de 2012

A PÁGINAS TANTAS - LEITURAS PARA FÉRIAS

Contos de vampiros é uma compilação de contos escritos por autores portugueses, desde Ana Paula Tavares a José Eduardo Agualusa, passando por Miguel Esteves Cardoso, Rui Zink, Hélia Correia, João Tordo e ainda outros. Podemos dizer que os contos são todos muito bons, alguns raiando o bom humor, ao contrário do que o título possa sugerir. São, alguns, terríficos, mas não assustadores. Creia que os pode ler, de noite, muito confortavelmente, na sua caminha, que não terá pesadelos… As personagens e as acções são tão variadas como os autores, encontrando nós uma panóplia de caráteres muito variada. Podemos deparar com um fantasma solitário e triste, ou com um monstro que, se calhar n~eo é muito monstro. Enfim, uma leitura diferente, mas que aconselho vivamente. Contos de vampiros, de vários autores portugueses contemporâneos, é um conselho da BECRE JOÃO FRANCO para estas férias e ... para todas as idades!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

TOP LEITOR

MAIO 1º - Alexandra Sofia Venâncio Costa 2º - Ana Margarida Gadanho Vaz e Catarina Geraldes Antunes Mendes 3º - Alexandre Gonçalves Lopes e Fábio Dias Ferreira ABRIL 1º - Catarina Geraldes Antunes Mendes 2º - Jéssica da Costa Grácio 3º - Alexandra Sofia Venâncio Costa

TOP LIVRO DE ABRIL E MAIO

MAIO Os autores do World Press Cartoon López Narváez, Concha, A lenda do viajante que não podia parar Gonzalez, Maria Teresa Maia e Santos, Margarida Fonseca, O prémio asa de prata Ondjaki, O voo do golfinho Roque, Vera, Palavras nunca ditas Vieira, Alice, Rosa, minha irmã Rosa Soares, Luísa Ducla, Três histórias do futuro Magalhães, Ana Maria e Alçada, Isabel, Uma aventura na Serra da Estrela ABRIL Roque, Vera, Palavras nunca ditas Soares, Luísa Ducla, Contos para rir Os autores de World Press Cartoon Meyer, Stephenie, Lua nova Magalhães, Ana Maria e Alçada, Isabel, Uma aventura em Lisboa

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Rubrica "A PÁGINAS TANTAS"

Vargas Llosa, M. (2003). Lituma nos Andes (M.S. Pereira, trad.). Porto: Público (obra original publicada em 1993) Lituma nos Andes é uma história muito interessante e cativante que narra a história do cabo Lituma e do seu ajudante Tomás que, no Planalto peruano, vivem sob a ameaça da presença dos guerrilheiro de Sendero Luminoso. O mistério vive-se intensamente, no seio do desaparecimento de várias personagens e Vargas Llosa confere grande densidade psicológica às suas personagens, o que contribui para uma leitura urgente por parte do leitor. Além disso, todo o ambiente em que as personagens circulam é dotado de uma realidade que, distante e diferente da nossa, que nos sensibiliza para a diferença cultural entre os povos. Aguçamos o apetite com a leitura da primeira página deste romance, pois, desde a primeira frase que o leitor fica, irremediavelmente, preso. “Quando viu aparecer a índia à porta da choça, Lituma adivinhou o que a mulher ia dizer. E ela disse-o, mas em quéchua, mastigando as palavras e soltando um fiozinho de saliva pelas comissuras da boca sem dentes. - O que está ela a dizer, Tomasito? - Não percebi bem, meu cabo. O guarda dirigiu-se à recém-chegada, em quechua também, fazendo-lhe com as mãos sinal para que falasse devagar. A índia repetiu os mesmos sons indiscerníveis que davam a Lituma a impressão de uma música bárbara. Sentiu-se, de repente, muito enervado. - O que é que ela diz? - O marido perdeu-se – murmurou o ajudante. – Há quatro dias, parece. - E vão três – balbuciou Lituma, sentindo a cara encher-se-lhe de suor. – Puta de vida. - Que havemos nós de fazer, meu cabo? - Regista-lhe a declaração.- Um calafrio subiu e desceu o guarda civil.- Primeiro, o mudo, depois, o albino. Agora um dos capatazes da estrada. Assim, não, não pode ser, meu cabo. Não podia, mas era, e pela terceira vez. Lituma imaginou os rostos inexpressivos, os pequenos olhos glaciais com que o observariam as pessoas de Naccos, os peões do acampamento, os índios comuneiros, quando lhes fosse perguntar se sabiam do paradeiro do marido daquela mulher e sentiu o desânimo e a impotência das ocasiões em que tentara interroga-los acerca de outros desaparecimentos: as cabeças sacudindo-se negativamente, os monossílabos, os olhares fugidios, os pressentimentos de ameaça. Seria a mesma coisa, uma vez mais.” Caro ouvinte, com este início, diga-me se não tem vontade de ler este livro! Lituma nos Andes, um conselho meu, que sou a Margarida Ferreira. Junho de 2012.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Reis e Rainhas - O milagre das rosas

Vale a pena ver! Fotografias que ilustram os momentos inesquecíveis que os Jardins de Infância de Enxames, Capinha, Peroviseu e Fatela nos proporcionaram em maio, no anfiteatro do complexo escolar a propósito do projeto "Reis e Rainhas - o milagre das rosas", que desenvolveram ao longo do ano.

"A CIDADE DOS CÃES"

Ilustrações da parte preferida da história de Luísa Ducla Soares "A cidade dos cães". Trabalhos da autoria dos alunos do 4º ano da Escola EB1 de Sta. Teresinha.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

HABITAÇÃO TRADICIONAL EM CONTEXTO DE SUSTENTABILIDADE

O Projeto "Habitação Tradicional em contexto de Sustentabilidade", proposto pelo grupo de Ciências Físico-Químicas e com a parceria do Departamento de Engenharia Eletromecânica da Universidade da Beira Interior e do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais da Escola Secundária Quinta das Palmeiras da Covilhã, foi selecionado na 1ª fase do Concurso Fundação Ilídio Pinho – Projeto “Ciência na Escola”. A Educação Ambiental nas escolas é fundamental para transmitir às crianças e jovens, conhecimentos e valores sobre o meio ambiente, no sentido de ajudar à sua proteção, preservação e utilização sustentável dos seus recursos. Este é um dos principais objetivos do Projeto e que é desenvolvido através da construção de casas de habitação local (típica casa Beirã) e tradicional, energeticamente mais eficientes. São exploradas as fontes de energia renováveis (como o vento e o sol), na perspectiva da iluminação e aquecimento, bem como os recursos materiais locais. Numa didática da interdisciplinaridade, os alunos abordam questões teóricas do domínio da Físico-Química, Geografia e História bem como de EVT, TIC e Educação Tecnológica aquando da construção das habitações. O desenvolvimento do Projeto tem envolvido várias atividades, das quais se destacam: - O workshop na Universidade da Beira Interior da Covilhã - Departamento de Engenharia Eletromecânica da Universidade da Beira Interior; - A partilha de conhecimentos com a Escola Quinta das Palmeiras da Covilhã (Escola Parceira no Projeto) que tem decorrido através de sessões de trabalho com instalação de painéis solares nas casas já construídas. Finalmente o Projeto termina a 23 de maio do corrente ano com a apresentação das “casas-projeto”, onde um Júri irá fazer a atribuição da “HABITAÇÃO TRADICIONAL MAIS SUSTENTÁVEL”.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Rubrica "A PÁGINAS TANTAS"

Hoje vamos divulgar um dos muitos e belos livros do escritor moçambicano Mia Couto: Raiz de orvalho e outros poemas. Porém, antes, gostaríamos de referir que este escritor, de nacionalidade moçambicana, mas filho de portugueses, foi recentemente galardoado com o prémio Eduardo Lourenço, atribuído pelo Centro de Estudos Ibéricos. Raiz de orvalho e outros poemas é uma obra dotada de imensa beleza, onde as raízes africanas ressaltam, não só através dos temas, como ainda da linguagem peculiar característica de Mia Couto. Percorrendo as folhas do livro, o nosso olhar recai neste e no outro e ainda no outro poema, tornando a nossa missão de escolher um, apenas, bem difícil. Por este motivo, decidimos que vos presentearíamos com o poema “Identidade”, o primeiro do livro, escrito em 1977. "Preciso ser um outro para ser eu mesmo Sou grão de rocha Sou o vento que a desgasta Sou pólen sem insecto Sou areia sustentando o sexo das árvores Existo onde me desconheço aguardando pelo meu passado ansiando a esperança do futuro No mundo que combato morro no mundo por que luto nasço" Muito belo, não acha? Já sabe, Mia Couto é um nome a reter. Raiz de orvalho e outros poemas é o meu conselho desta semana, eu, que sou a Margarida Ferreira.

terça-feira, 24 de abril de 2012

LER DEVIA SER PROIBIDO

Este é um vídeo a não perder! http://www.youtube.com/watch?v=iRDoRN8wJ_w

NOITE COM LIVROS - 23 DE ABRIL

Ontem a BECRE fez mais uma festa do livro. Parabéns ao livro, que provoca estas festas! Os alunos de todos os ciclos do Agrupamento de Escolas João Franco estiveram presentes. Assistência não faltou. Deixamos aqui alguns testemunhos da nossa festa. O evento teve lugar na sala de infanto-juvenil da Biblioteca Municipal Eugénio de Andrade.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

quinta-feira, 19 de abril de 2012

A MALTA DO 2º C


Fonseca, Catarina da, A malta do 2º C.
Afinal, a escola não é só testes, horários, professores, delegados de turma. É também um esqueleto chamado Magalhães, uma antepassada fugida aos franceses, um estraterrestre abandonado no pátio, a Dó-do-Senhor espreitando pelas grades, …
A escola é ainda o fantasma do reitor Simões, aparecido para assombrar as couves do quintal. A malta do 2.º C foi descobrindo a escola ao longo do ano, à mistura com o sintagma nominal e a Batalha de São Mamede!
Lê e diverte-te!

REVISTA QUERO SABER

Já saiu a revista "Quero Saber" de Maio. Como sempre, os temas são tão variados quanto interessantes. Contendo artigos de tecnologia, transportes, espaço, ciência, ambiente e história, trata-se de uma leitura muito aliciante, com muitas e muitas novidades. Não pode deixar de se ler.
http://www.querosaber.com.pt/revista

REVISTA NATIONAL GEOGRAPHIC

A revista pode ser consultada na BECRE. Muito interessante. Anexamos o endereço do sítio para aguçar o apetite.
http://www.nationalgeographic.pt/

POETISA VERA ROQUE NA BECRE


Hoje temos connosco a poetisa fundanense Vera Roque. Com a sua simpatia e frescura, as sessões têm sido um estrondoso sucesso!
Publicamos um poema para aguçar o apetite.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

TOP LEITOR DE MARÇO

1. Alexandra Sofia F. S. V. Costa
2. Carlos Francisco G. Quintas
Catarina Geraldes A. Mendes
Tiago Miguel B. Santos

TOP LIVRO DE MARÇO

1. Menéres, Maria Alberta, Ulisses
2. Sepúlveda, Luís, História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar
3. Soares, Luísa Ducla, Contos para rir
4. Ondjaki, O voo do golfinho
5. Magalhães, Ana Maria e Alçada, Isabel, A gata Gatilde

A seita


James e os seus colegas infiltram-se num culto australiano, Os Sobreviventes, depois de descobrirem indícios de uma potencial ligação ao grupo terrorista Ajudem a Terra.
O quartel-general do culto é um local isolado no meio do deserto australiano, a grande distância da cidade mais próxima.
Trata-se por isso, da missão mais difícil até ao momento, porque James vê-se obrigado a obedecer às rígidas regras do culto!
Desta vez, James não só terá de combater terroristas, mas também lutar para não os deixar entrar no seu cérebro!!!

Lê e diverte-te!

Ilustrações da história da Maria Castanha feita pelos alunos do 1º ano da EB1 de Sta. Teresinha

sexta-feira, 13 de abril de 2012

A PÁGINAS TANTAS

Vamos dar início a uma divulgação de livros que emitimos na RCB - Rádio Cova da Beira todas as sextas feiras. Embora já nos encontremos na 75ª emissão, aqui no blogue, será a primeira.

Começamos com A bicicleta que tinha bigodes, um conto escrito pelo jovem, mas conhecido escritor angolano Ondjaki.Devido à sua recente visita à nossa escola, este foi um dos livros que li em conjunto com os alunos.
Trata-se de uma história simples, mas complexa, simultaneamente, tendo como protagonista o narrador, um miúdo que,sabendo de um concurso literário promovido pela rádio local, o qual atribuía uma bicicleta como prémio ao vencedor, decide concorrer. O pior é mesmo escrever a história! As peripécias são muitas e o rapaz, Isaura e o Jorgetemcalma protagonizam muitos episódios, alguns deles hilariantes, tendo como espaço de fundo as ruas de Luanda, a capital angolana. Não é uma história para crianças, é uma história para todas as idades, através da qual é possível o leitor contactar com uma realidade africana, onde se lida com a falta de abundância, mas também com a alegria de viver, a irreverência juvenil, a sensatez da idade e com a própria escrita. O Tio Rui, escritor, possui uma caixa de histórias e diz que para se escrever é preciso ter ideias e coração.
Além de se maravilhar com as histórias todas que a história principal contém, pode descobrir como é a escrita africana, não só a nível dos assuntos, como também do vocabulário, da maneira de construir as frases.
Caro ouvinte, A bicicleta que tinha bigodes é uma leitura muito bem disposta, mesmo boa para o seu fim de semana!
A bicicleta que tinha bigodes é uma leitura obrigatória e é o meu conselho desta semana, eu, que sou a Margarida Ferreira.

terça-feira, 10 de abril de 2012

POETISA VERA ROQUE

A poetisa fundanense estará na Escola EB 2/3 João Franco, do Fundão, nos próximos dias 19 e 20 de Abril, em sessões destinadas aos alunos dos 2º e 3º ciclos.
Estamos com grande expectativa!